fotografia | sissy eiko

.

.

fotografias | sissy eiko

“Xiran, vamos falar sobre todos os ditados famosos associados com mulheres? …

Depois há o outro sobre peixes…

Que peixes?

Ah, pobre Xiran. Você nem entende direito as categorias de mulheres. Como pode ter esperança de compreender os homens? Eu vou explicar. Quando bebem, os homens vêm com algumas definições de mulheres. As amantes são peixes-espada: saborosas, mas com espinhas afiadas. As `secretárias-particulares´ são carpas: é preciso cozinhá-las em fogo lento para terem mais sabor. As esposas dos outros homens são baiacu japonês: pode matar, mas correr risco de morte é fonte de orgulho.

E as esposas deles mesmos?

São bacalhau salgado.

Bacalhau salgado? Por quê?

Porque o sal conserva por muito tempo. Quando não há outra comida, o bacalhau salgado é barato e conveniente, e, junto com arroz, dá uma refeição…”

 

“Nos anos 30, quando as ocidentais já exigiam igualdade sexual, as chinesas apenas começavam a desafiar a sociedade dominada pelo homem, recusando-se a ter os pés enfaixados ou a contrair núpcias arranjadas pela geração mais velha. Mas não conheciam as responsabilidades e os direitos da mulher; não sabiam como ganhar um mundo para si. Procuravam respostas às cegas em seu próprio espaço estreito, e num país onde toda a educação era prescrita pelo Partido. É inquietante o efeito que isso teve sobre a geração mais jovem. A fim de sobreviver num mundo impiedoso, muitas jovens adotaram a carapaça endurecida de Jin Shuai e suprimiram suas emoções”

 

XIRAN, 1958 – As boas mulheres da China – SP: Cia das Letras, 2007