fotografia | sissy eiko

.

“Eu sou prisioneira da noite. (…) Quero os caminhos da madrugada e estou presa, quero fugir aos braços da noite e estou perdida.”- Henriqueta Lisboa

.

Quebra a madrugada um seixo
e ela afrouxa, instável em rinhas.
Se cruzo os dedos, é por despeito
e imagino o que resta inteiro.
Fio a fio teço com seus cabelos
pontos cruz, finos veios.
E neste emaranhado
é que me desfaço, fora dos eixos.
Negra, intensa madrugada
alinhavada num lampejo.
.
Elisa Andrade Buzzo
Anúncios